fbpx
woman-working-at-home-office-using-laptop-3-NZPRHGP

4 motivos reais porque o seu conteúdo jurídico ainda não foi indexado pelo Google

Share on facebook
Share on linkedin
Share on email
Share on whatsapp

     

Se você, Advogado ou Advogada, publica artigos no seu site, blog ou até mesmo no Jusbrasil, esse artigo é pra você.

É uma triste realidade para alguns Advogados que tem muito conhecimento, mas não estão sendo encontrados por seus potenciais clientes através da internet, ou seja, não estão sendo vistos.

Esse é um tema de extrema importância para o Advogado, pois a publicação de conteúdo em caráter informativo, se não a principal, é uma das formas principais que o Advogado tem de ser visto e ser encontrado por potenciais clientes.

Antes de falar dos 4 motivos da falta de exposição dos seus conteúdos jurídicos, tem uma máxima que diz:

“Se você quer se esconder de alguém, vá pra segunda página do Google.” – Autor desconhecido

Essa frase realmente retrata a realidade.

Dificilmente as pessoas navegam para a segunda, terceira ou quarta página do Google quando o resultado buscado não consta na primeira página.

O que é mais comum se fazer é trocar as palavras que foram digitadas na busca.

E isso nos leva ao primeiro motivo dos 4 motivos que vou apresentar.

1. Você não está usando palavras-chave de cauda longa

Palavras-chave de cauda longa, ou em inglês, as long-tail keywords, são frases / termos que você deve ter no seu conteúdo, que conectam, exatamente, com o que o seu potencial cliente está buscando.

Aqui vai um exemplo para quem atua com Direito de Família: você pode escrever um artigo, onde no título e/ou também no conteúdo, tenha a seguinte frase:

“Como me divorciar com filhos menores de 18 anos em tempos de pandemia ou crise?”

Esse é um exemplo claro de título de artigo com palavras-chave de cauda longa.

O ponto aqui é: você tem que escrever conteúdos pensando em como o seu cliente vai buscar por ele. E sim, você deve ser específico ou específica naquele tema.

Somente assim, o Google, a medida que o seu artigo seja acessado, vai dando relevância pra ele.

Isso vale também para você que publica no Jusbrasil, pois o Google indexa os conteúdos mais relevantes que são publicados lá.

2. Você não está usando termos otimizados no conteúdo do seu artigo

Termos otimizados nada mais são do que palavras que se conectam com o conteúdo do seu artigo, mas que também são comuns nas buscas pelos seus potenciais clientes.

No exemplo anterior, eu falei sobre divórcio. Então, no conteúdo do seu artigo, deve constar, por exemplo, as seguintes palavras-chave: família, separação, bens, filhos, etc.

Eu não estou dizendo que essas são as melhores palavras para você utilizar no seu artigo. É só um exemplo.

Para evitar o achismo, use ferramentas como SEM Rush (https://semrush.com) ou o próprio Google Trends (https://google.com/trends).

Use sem moderação para que seu conteúdo gere valor para o seu potencial cliente, usando as palavras que eles estão realmente buscando.

3. Você não está escrevendo conteúdos para o momento do seu cliente

Aqui vai um outro exemplo: suponha que você atua com Direito do Trabalho.

Ao invés de escrever um conteúdo falando como o Direito do Trabalho é maravilhoso, escreva conteúdos que se conectam com o momento dos seus potenciais clientes.

Por exemplo: “Quais os direitos para quem foi demitido indevidamente por justa causa em tempos de crise?”

Esse é um claro exemplo para quem, infelizmente, foi demitido no momento de quarentena.

Com certeza, há centenas ou milhares de pessoas buscando entender seus direitos no que se refere à demissão por justa causa, quando o empregado acha que foi indevido.

No artigo, por exemplo, você pode explorar diversos pontos desse fato, utilizando as técnicas que mencionei anteriormente.

Esse conteúdo pode ser muito relevante para os seus potenciais clientes e, se é relevante, o Google tende a indexar.

4. Você não tem constância nas publicações

Isso mesmo. Constância é tudo para quem quer ter seus conteúdos indexados pelo Google.

Você deve ter uma recorrência na publicação dos seus artigos.

O algoritmo do Google, à medida que os seus conteúdos “conversam entre si” e vão tendo mais relevância, os beneficia colocando-os na primeira página.

Não necessariamente, você precisa publicar todos os dias, mas uma boa prática seria 2 ou 3 conteúdos por semana.

Se fosse fácil, todo mundo fazia. O desafio é ter disciplina e escrever constantemente.

E não adianta escrever conteúdos rasos ou que não geram valor para o seu cliente. O segredo é gerar valor, entregar de forma objetiva a mensagem.

Se o potencial cliente gostar e entender que você conhece (é uma autoridade) do assunto abordado, as chances de se tornar um cliente efetivo são enormes.

Sobre o autor:

Rafael Heringer é fundador e CEO na Elevia (https://elevia.com.br), plataforma de gestão de cobranças e recebimentos, exclusiva para a Advocacia 4.0. Possui mais de 15 anos de experiência em gestão de produtos, desenvolvimento de software e marketing.. Fundou, em 2013, o Jurídico Certo, a maior plataforma de contratação e gestão de Advogados e Correspondentes do Brasil, adquirida em 2018 pelo Jusbrasil. Também é membro fundador da AB2L, Associação Brasileira de Lawtechs e Legaltechs.

Share on facebook
Share on linkedin
Share on email
Share on whatsapp

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© Copyright 2019 – All Rights Reserved – PROADV by IMPACTA

Entre em contato

× Como posso te ajudar?