fbpx

Design Thinking uma palavra esquisita para o advogado, mas uma ferramenta essencial na advocacia moderna

Autora: Claudia Botelho

O que é Design Thinking?

É uma abordagem que utiliza ferramentas do Design para resolver problemas, desenvolver propostas e pensar projetos de maneira criativa. O processo é focado no ser humano e pode ser utilizado em diversas áreas inclusive na advocacia, verdade, acredite nisto!

Tudo acontece a partir do início de um processo que trás em primeiro plano o pensamento crítico, a solução de problemas, comunicação, colaboração, criatividade e inovação acontecendo tudo de uma só vez dentro do seu escritório.

Uma das maneiras de colocar em prática o Design Thinking é por meio do Design Sprint. Ambos colocam o ser humano no centro das atenções, mas tem processos diferentes. O Design Thinking é uma abordagem a ser incorporada em um projeto longo e pode ser entendido como um modo de pensar. Já o Design Sprint é uma espécie de “receita de bolo”, que deve ser seguida para atingir o sucesso na resolução de problemas.

Portanto, quando se faz uso das ferramentas do Design Sprint o Design Thinking é colocado em prática. Há etapas que devem ser seguidas para a sua aplicabilidade: mapa, desenho, decisão, protótipo e teste. Devendo sim serem aplicadas em até cinco dias, focando em novas propostas, produtos, projetos ou serviços.

As etapas do Design Sprint

Mapa: é o momento de mapear o problema a ser resolvido, entender os desafios e definir um objetivo. Em um atendimento, é quando se deve conversar com o cliente e entender suas necessidades.

Desenho: fase dedicada a entender o problema e registrar ideias sem se preocupar se serão viáveis ou não. Ao final, são gerados desenhos, esboços, de possíveis soluções e insights.

Decisão: tendo conhecimento das propostas, é hora de definir quais ideias serão desenvolvidas e criar storyboards de como utilizá-las com os envolvidos do processo (você e seu cliente, por exemplo).

Protótipo: a partir do storyboard, é o momento de criar um protótipo realista da ideia selecionada. É necessário garantir que esteja pronto para ser testado.

Teste: nesta última fase do Design Sprint já existe um protótipo sendo testado com usuários finais e pronto para receber feedbacks em tempo real, a fim de receber a validação da ideia e identificação de eventuais refinamentos.

Como aplicar Design Thinking em escritórios de advocacia?

Depois de conhecer um pouco mais sobre o Design Thinking, você deve estar se perguntando como aplicá-lo em seu escritório de advocacia. Já existe um termo específico para esse recurso, chamado Legal Design.

Algumas situações incluem: melhorar o relacionamento com o cliente, desenvolver ações para o marketing jurídico, criar novas abordagens ou qualquer desafio que necessite gerar ideias.

Essa abordagem também pode auxiliar a inovar em seu escritório. Por isso, destacamos três dicas de inovação, sejam elas:

1. Faça imersões com a sua equipe

Uma maneira de inovar é por meio de imersoẽs individuais e com a equipe de trabalho. Realizar benchmarking, participar de eventos, atividades e viagens são formas de colocar em prática essa dica.

Também é importante priorizar momentos de conversa entre a equipe. Reservar um tempo e horário fixo durante a semana para troca de ideias e experiências entre o time é uma forma de manter o desenvolvimento constante.

Os advogados autônomos também podem aplicar essas sugestões no dia a dia, uma vez que trabalham sozinhos. Para esses casos, a dica é procurar um mentor e ter nessa pessoa uma referência para conversar periodicamente sobre o mercado.

2. Quebre o padrão mental, o mindset. Pense fora da caixa.

Esteja aberto a mudanças e, mais que isso, procure agir de maneira diferente sem medo de errar! Essa dica vai ajudar você a inovar em seu trabalho e melhorar ainda mais a sua rotina.

Procure acabar com as suas crenças limitantes no dia a dia. Reconheça o que lhe impede de agir, ou faz você se sentir mal e impotente em diferentes situações da vida. Depois, procure se desafiar e agir diante disso.

É importante focar em pensamentos positivos, sem dar atenção demais a frases como “não posso” e “não consigo”. Caso apareçam, transforme em ações positivas! Existem duas respostas: resultado ou desculpa.

3. Empreenda

Você pode aplicar atitudes empreendedoras em seu escritório de advocacia para gerir os negócios jurídicos! É uma ótima forma de entender melhor o mercado e continuar se destacando no meio.

Para ser um advogado empreendedor, você precisa encarar a profissão como um negócio. Planejamento, metas e controle de gastos e recebíveis serão parte de sua rotina. Isso sem falar da constante busca por soluções inovadoras para seus negócios e clientes.

Com muita dedicação e estudo é possível consolidar sua carreira de advogado e se destacar como empreendedor!

Comments 1

  1. Kândice Rosa says:

    Essa ferramenta me parece muito interessante de se aplicar para dar um norte ao trabalho do advogado!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Conheça um pouco mais sobre as nossas empresas e soluções:

× Como posso te ajudar?

Entre em contato